Acesso à informação
FNS em Operação Ouvidoria Operações ROF disponivel para consulta Ferrovia de Integração Oeste – Leste Ferrovia de Integração Oeste – Leste Ferrovia Norte-Sul Ferrovia Norte-Sul

notícias

TCU libera últimos trechos da Fiol

18/04/2014 - Assessoria de Comunicação

A execução das obras dos lotes 6 e 7 da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) foi liberada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) na tarde desta quarta-feira (16/04).

A decisão vai viabilizar a construção do trecho entre os municípios baianos de Bom Jesus da Lapa e Barreiras. A expectativa da Valec, órgão vinculado ao Ministério dos Transportes, é de que as obras nesses locais sejam iniciadas ainda no primeiro semestre deste ano.Com a liberação dos dois últimos lotes pelo TCU, a Fiol estará totalmente em obras. “Isso vai possibilitar um melhor planejamento para a conclusão da obra no menor prazo possível”, garantiu o ministro César Borges. As obras dos lotes 5, 5-A, 6 e 7 foram suspensas pelo Tribunal de Contas em dezembro de 2011. Desde então, a Valec e o Ministério dos Transportes têm tomado todas as providências cabíveis para o atendimento das solicitações e recomendações do Tribunal.O TCU, portanto, entendendo que as ações tomadas pela Valec reduziram incertezas e riscos da obra, revogou a suspensão cautelar dos lotes 5 e 5-A da Fiol, em outubro e dezembro do ano passado, respectivamente.

Atualmente, os dois últimos lotes que estavam suspensos foram liberados. Assim, não há qualquer trecho da Fiol com impedimento para execução imposto por qualquer órgão de controle.O lote 6 terá 159,31 quilômetros de ferrovia, se iniciando na cabeceira da ponte sobre o Rio São Francisco, no município de Serra do Ramalho, e cortando, ainda, outras cidades baianas, como Correntina, Jaborandi e São Félix do Coribe. Em Santa Maria da Vitória acontece a intersecção com o lote 7, que segue por São Desidério até Barreiras, contando 161,12 quilômetros de linha férrea.Ambos os lotes já têm contratadas empresas construtoras e supervisoras.

As obras do lote 6 devem começar pelo aterro de um trecho de cinco quilômetros na cabeceira da ponte sobre o rio São Francisco. Enquanto isso, questões relacionadas à desapropriação de terras e a ajustes de projeto em decorrência da localização de cavernas serão finalizadas. Já o lote 7 possui 75% das terras desapropriadas e está com o traçado completamente mapeado e o eixo da ferrovia demarcado.


Voltar