Notícias

Simpósio Internacional Brasil Ferroviário promove nova visão de futuro da VALEC

A VALEC, em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Ministério da Infraestrutura (MInfra), promoveu, nesta segunda-feira (18), no auditório do DNIT, o Simpósio Brasil Ferroviário - Nova Visão, Novo Futuro, que reuniu representantes de várias entidades dos setores público e privado.

O evento contou com a presença do Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Feitas, que evidenciou o compromisso do Governo do Brasil com o desenvolvimento da infraestrutura. “Pela primeira vez nós temos um programa para a infraestrutura que considera o longo prazo.”

Durante o Simpósio, a VALEC apresentou a nova visão do setor em que se posiciona como detentora da inteligência ferroviária no âmbito governamental, ampliando suas funções ao fomentar parcerias e atrair novos investimentos. “A VALEC está pronta para assumir os desafios propostos pelo Governo do Brasil e o Ministério da Infraestrutura. Este evento é o resultado de uma parceria importante com o BID e certamente irá trazer resultados positivos para o setor de infraestrutura”, afirmou José Luis Vianna, diretor de Engenharia da VALEC, na abertura do evento.

O objetivo do encontro foi criar sinergia entre representantes do governo, da iniciativa privada e de fontes financiadoras neste novo tempo para o transporte ferroviário. Participaram como painelistas e moderadores do Simpósio representantes da ANTT, BNDES, EPL, PPI, Caixa, ANTF, Movimento Pró-Logística do Mato Grosso, Deutsche Bahn, Embraer, IME, Agência Infra.

Ciente da importância dessa sinergia, Marcelo Sampaio, secretário executivo do MInfra declarou durante sua fala na abertura do evento: “Precisamos equilibrar a matriz de transportes no país e isso acontecerá por meio de parcerias. Isso só será possível porque o presidente Jair Bolsonaro teve coragem de colocar na Pasta da Infraestrutura um corpo técnico capaz de realizar entregas importantes.”

Ainda na abertura do Simpósio, a especialista sênior de transportes do BID, Karisa Ribeiro, pontuou três abordagens fundamentais para o setor de transportes: parceria, equilíbrio e oportunidade.

Ao apresentar o posicionamento institucional da VALEC no painel que tratou dos principais desafios para o desenvolvimento ferroviário na América Latina, o assessor de Relações Institucionais, Guilherme Bianco, apresentou o portfólio da empresa, que destaca todos os serviços que o corpo técnico da VALEC oferece, desde a elaboração de estudos preliminares, como os de viabilidade, até o gerenciamento de obras e a entrega de empreendimentos ferroviários.

“A VALEC está capacitada para atuar em todo o ciclo de vida dos projetos. Na nossa visão, está aberta uma janela de novas oportunidades para o setor e queremos ser protagonistas dessa mudança de paradigma que o Governo do Brasil nos apresenta, ao fomentar parcerias entre o setor público e o privado”, destacou Bianco.

A VALEC, em seu novo posicionamento, está alinhada ao Ministério da Infraestrutura, que vem atuando na promoção de três pilares básicos para o modal ferroviário: a renovação antecipada dos contratos de concessão; o Projeto de Lei do Senado nº 261, de 2018, que autoriza empresas ou consórcios a construir e a operar linhas ferroviárias; e o estímulo à estruturação de projetos ferroviários.

Como única empresa pública inteiramente especializada em ferrovias, a VALEC já apresentou como resultados de seu trabalho ter concluído estudos de mais de 20 mil km de ferrovias e construído 2.374 km de trilhos. Atualmente, constrói na Bahia 1.022 km das obras da FIOL (Ferrovia de Integração Oeste Leste).

No intuito de aumentar a escala da carteira de projetos da VALEC, o superintendente de Projetos, Custos e Estudos, Marcos Aires, apresentou a proposta da empresa para a ampliação do Sistema Nacional de Viação (SNV), que consolida a malha sob jurisdição dos diferentes entes da Federação.

Segundo Aires, “com a proposta de ampliação do SNV, pretendemos duplicar a malha ferroviária a ser explorada pelos diversos players do mercado. Outra proposta arrojada que lançamos neste Simpósio é a de oferecermos a parceiros de outras áreas de infraestrutura o uso da faixa de domínio, que é outorgada à VALEC. Um parceiro da área de telecomunicações, por exemplo, poderia passar cabos de fibra ótica por essa área que margeia a ferrovia. Isso traria receitas para a VALEC.”

O Simpósio também abordou a inovação. Participando do painel, que contou também com representantes do IME (Instituto Militar de Engenharia) e da Embraer, o representante da Superintendência de Meio ambiente e Desapropriação da VALEC, Bruno Costa, expôs o uso das tecnologias disponíveis na empresa para aplicação no setor de transportes. Um dos exemplos mais reconhecidos pelos especialistas do setor é o uso de drones e de imagens via satélite para monitoramento da faixa de domínio. São mais de 45 mil km de voos registrados, mais de 700 mil fotografias aéreas gravadas e 2,5 mil vídeos.

A VALEC também apresentou seu trabalho de gerenciamento de projetos ambientais, como no caso do plantio compensatório de mais de 4 milhões de mudas que está sendo realizado em toda a extensão da Ferrovia Norte-Sul para recuperação do Cerrado.

Na sessão dedicada ao tema Autorizações Ferroviárias, na qual foi debatido o investimento privado na malha ferroviária nacional sob a ótica do Projeto de Lei do Senado 261/2018, a superintendente Jurídica da VALEC, Thaís Araripe, destacou que “a empresa tem know how muito grande, que merece ser aproveitado, auxiliando os entes governamentais e privados, especialmente nas fases iniciais de um empreendimento ferroviário”.

Ao final do encontro, o diretor de Administração e Finanças da VALEC, Paulo Campolina, agradeceu a presença de todos os participantes e destacou que “o resultado de uma política pública é medido pelo que ela entrega para a sociedade. A nossa empresa tem o desafio de entregar prosperidade”.

O painel de encerramento contou também com a presença do Secretário de Desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar. Mattar ressaltou a necessidade de desonerar o pagador de impostos. “A melhor forma de desenvolver o país é incentivar a iniciativa privada. Temos que facilitar a vida dos empreendedores. ”

Tarcísio de Freitas, Ministro da Infraestrutura, encerrou o Simpósio Internacional Brasil Ferroviário – Nova Visão, Novo Futuro afirmando que “o nosso propósito é elevar a infraestrutura a um patamar de Estado e olhar sempre com a lente do longo prazo. ”

Com uma mentalidade mais voltada para o mercado, a VALEC deixou claro que está pronta para seus novos desafios e otimista com as atuais perspectivas de ser o braço governamental responsável por fomentar a logística ferroviária do país.

Saiba mais aqui


TEXTO: Flavio Correa e Ana Caichiolo

IMAGENS: Vanderlei Pereira / André Benício